Assalto é transmitido ao vivo por rádio no Paraná

Ouvintes da Rádio 101.9 FM, de Alto Paraná, a 460 quilômetros de Curitiba, no noroeste do Paraná, foram surpreendidos por volta das 2 horas da madrugada de domingo com a transmissão ao vivo de um assalto ao radialista Thiago Amorim da Silva, que deixou o microfone ligado. Cerca de 100 ouvintes ligaram para destacamentos policiais da região e o assalto foi frustrado.Segundo o radialista, é comum ouvintes visitarem a rádio, mas ele estranhou que uma pessoa chegou naquela madrugada, abriu a porta do estúdio, olhou e voltou. "Senti que havia alguma coisa estranha", disse. Logo depois, dois homens entraram, armados com facas, e renderam o radialista e sua mulher. A programação musical foi substituída pela transmissão do assalto. Os assaltantes chegaram a perguntar se Thiago não estava "gravando" a conversa. "Não, não está", garantiu no ar. Como eles insistissem, o radialista desligou o computador utilizado para a programação musical. Segundo ele, como os assaltantes pareciam alterados e drogados, ele arriscou que não perceberiam ter deixado o microfone ligado. O diálogo continuou e os assaltantes - Romualdo Fernandes, de 35 anos, e um adolescente - perguntaram se ele estava armado e ameaçaram matá-lo se não houvesse colaboração. Depois perguntaram sobre dinheiro e sobre carro. Thiago disse que tinha uma Saveiro, mas que a chave estava em sua casa, que fica próxima à rádio. Um dos assaltantes foi com ele à residência. O outro ficou com sua mulher no estúdio, mas, desesperada, ela passou a chorar e implorar que nada fosse feito. Tudo levado ao ar. Logo depois, ela também foi levada para casa, mas os ouvintes já tinham começado a telefonar para as polícias militar de Alto Paraná e Paranavaí, além da Polícia Rodoviária Estadual. Na casa, os assaltantes acabaram rendendo também o sogro do radialista. Os três foram colocados em um quarto. Cerca de 30 minutos depois do início do assalto, um dos homens foi à cozinha da casa e acabou surpreendido pela polícia. O outro entregou-se sem esboçar resistência.Thiago voltou para a rádio, que nesse momento transmitia apenas chiados. "Estivemos fora do ar. Acabamos de ser assaltados como vocês, ouvintes, puderam perceber", disse, entre suspiros. A programação musical continuou pelo restante da madrugada. "Eu nunca pensei que isso pudesse acontecer em uma rádio", afirmou Thiago. Na manhã desta segunda-feira, 24, ele estava na delegacia, de onde concedia entrevistas contando sua história.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.