Assaltos a carros na Anchieta sobem 65%

Nas outras rodovias estaduais de SP, criminalidade diminuiu

Felipe Grandin, O Estadao de S.Paulo

16 de novembro de 2007 | 00h00

O número de assaltos a veículos na Via Anchieta aumentou 65% este ano. De janeiro a outubro, a Polícia Rodoviária Estadual registrou 33 casos de roubos e furtos a motoristas na rodovia. No mesmo período, em 2006, foram 20. A quantidade de crimes cresceu de 46 para 51 casos, incluídos o roubo e furto de veículos, de cargas e o assalto a pedestres, entre outros. O volume pode ser ainda maior: na conta, não foram computados os casos registrados pela polícia civil. O aumento da criminalidade na Anchieta contrasta com a queda ocorrida nas outras rodovias estaduais de São Paulo. No geral, houve diminuição de 18%. As ocorrências de crimes nessas estradas caíram de 1.158 para 946. Contando apenas os assaltos a motoristas, a redução foi ainda maior, de 21,6% - passou de 347 para 272. A polícia não sabe explicar o porquê dessa diferença, mas garante que a ocupação desordenada das margens da rodovia dificulta o combate ao crime. Há muitas favelas próximas à Via Anchieta. "O delinqüente fica escondido, esperando o veículo parar. Em minutos, pratica o delito e se esconde na favela", afirma o capitão Durval Silvano Gasparini, comandante da 1ª Companhia de Policiamento Rodoviário, responsável pelo sistema Anchieta-Imigrantes. "Essas ocupações são um facilitador, tanto para identificar a vítima quanto para fugir." PERIGOSegundo ele, a área de maior risco está nas imediações da Vila Natal, entre os kms 57 e 59. Só este ano, nove veículos foram assaltados ali. Gasparini afirma que mantém policiamento ininterrupto no local, mas não pode evitar que motoristas parem nos acostamentos. "Muitos motoristas param para falar no celular, descansar ou até mesmo fazer as necessidades fisiológicas", diz o capitão. "O ideal é parar perto de uma viatura ou em um posto da Ecovias", aconselha.Muitas vezes, são os criminosos que criam situações que levam os motoristas a saírem da pista. No dia 11, por exemplo,uma quadrilha que atuava na região da Vila Natal foi presa. O bando costumava colocar pedras na rodovia para estourar os pneus dos carros. Quando os motoristas paravam no acostamento, eram abordados e roubados. Depois os ladrões fugiam para a Vila Esperança, favela próxima. "Antes de serem presos, eles já haviam cometido três crimes dessa forma no mesmo trecho da rodovia", diz o delegado-titular do 3º DP de Cubatão, Armando Prado Lira Neto, responsável pela prisão dos bandidos. Essa delegacia é responsável pela cobertura entre os kms 43 e 59 da Via Anchieta. De acordo com o delegado, os bandidos atacavam de madrugada, quando a visão da pista não é boa. "Após a prisão", diz o delegado, "não foi registrado outro caso semelhante." Mas o delegado não descarta a existência de outras quadrilhas na região.PRECAUÇÕES"Para evitar imprevistos, o motorista deve adotar alguns cuidados", recomenda o coronel da reserva José Vicente da Silva, ex-secretário nacional de segurança e hoje consultor sobre criminalidade e violência urbana. "Nunca se deve parar no acostamento, mesmo se tiver o pneu furado ou o pára-brisas quebrado. Se estiver longe de um posto policial, o ideal é ganhar terreno e rodar pelo menos 500 metros para se afastar do local."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.