Assassinato do padre ainda é mistério em Itanhaém

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itanhaém trabalha para esclarecer, ainda nesta semana, o assassinato do padre Antonio Benedito Spoladori, de 51 anos, encontrado morto no domingo, em sua própria casa, no bairro Cibratel I. Os investigadores da DIG não descartam a hipótese de latrocínio. O padre se encontrava afastado há pouco mais de dois anos da Igreja Católica, por ter sido acusado de pedofilia.O corpo do religioso foi encontrado no banheiro da casa, nu e imobilizado com tiras de tecido, amarradas no pescoço e na boca. Exame necroscópico revelou asfixia mecânica como causa da morte. A Polícia Militar foi acionada na noite de domingo, após receber informações de que três homens foram vistos pulando o muro da residência.Antes de entrar na casa, os policiais encontraram no quintal um aparelho de televisão 29 polegadas e um receptor de antena parabólica. Levantamento posterior apurou ainda o desaparecimento de um aparelho de som e um videocassete.Outro fato que chamou a atenção dos investigadores foi o relato dos vizinhos, de que a casa onde o padre foi encontrado morto era freqüentada por rapazes. Também apurou-se que o sistema de alarme da residência não foi danificado, razão pela qual a polícia acredita que os autores do crime entraram no imóvel com a permissão da vítima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.