Assassinatos revoltam moradores de favelas do RJ

A revolta de moradores de favelas cariocas com assassinatos de parentes e vizinhos repetiu-se na manhã de hoje, por causa da morte de dois menores no bairro de Vila Kennedy, na zona Oeste. Os corpos dos adolescentes, de 16 e 17 anos, foram deixados dentro de um carro na praça da Favela Metral. Parentes dos mortos responsabilizaram a polícia, mas os soldados do 14º Batalhão falaram em briga de quadrilhas. O policiamento foi reforçado com 50 PMs. No Andaraí, zona Norte, dois traficantes foram mortos em confronto com a polícia. Hoje, a Polícia Militar fez uma blitz na entrada da favela Vila do João, em Bonsucesso, zona Norte, depois do intenso tiroteio com traficantes, na noite de sexta-feira. O comandante da PM, coronel Francisco Braz, sobrevoou a área. O tiroteio fechou duas importantes vias expressas da cidade, a Linha Vermelha e a Linha Amarela, das 19h40 às 21h15. A operação policial tinha sido montada para capturar o traficante Paulo César da Silva Santos, o Linho. Seis pessoas, entre as quais dois policiais civis, foram atingidas por balas disparadas no confronto, e estão fora de perigo. Os motoristas entraram em pânico e muitos tentaram voltar de marcha-à-ré.

Agencia Estado,

19 de outubro de 2002 | 12h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.