Assassino arrependido confessa crime três anos depois

Arrependido, o servente Adeílton Domingues Faria, de 24 anos, procurou a Delegacia de Polícia de Sorocaba, quinta-feira e pediu para ser preso. Ele havia matado, em 2001, um adolescente de 14 anos e não fora responsabilizado pelo crime. Depois de quase três anos, alegou que não agüentava mais o remorso. O assassinato, ocorrido na zona norte da cidade, figurava na relação de crimes não esclarecidos pela polícia.Faria contou aos incrédulos policiais que tinha sido ele o autor e, durante todo o tempo, tinha lutado contra a sua consciência que reclamava a confissão. Ele justificou ter se esquivado de assumir o crime porque agiu em legítima defesa. Faria disse que tinha sido jurado de morte pela vítima. O servente, que tem dois filhos, disse que espera agora viver em paz. Sua intenção é provar à Justiça que agiu em defesa própria. Faria foi ouvido pela Polícia Civil e encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Sorocaba. Ele passou o dia, ontem, na cela onde ficam os presos recém admitidos ao sistema prisional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.