Assassino de adolescente condenado a 19 anos

Durou quase 24 horas o julgamento de Fábio Norões Marques de Oliveira, de 20 anos, um dos quatro acusados pela morte do estudante Marcel Massaro, de 15 anos. Massaro foi assassinado com um tiro nas costas, no dia 29 de junho de 1999, na Cobal do Humaitá, um complexo de lojas, bares e restaurantes que reúne jovens em Botafogo, na zona sul do Rio. Norões foi condenado a 19 anos e seis meses de prisão pelo juiz Ivan Cury, do 1.º Tribunal do Júri, por homicídio qualificado. Ele não poderá recorrer da sentença em liberdade.Pivô do crime, Júlia Defaveri Figueira, de 20, saiu do Fórum presa por falso testemunho. Em seu depoimento, ela negou ter mantido um relacionamento com Norões, que a acompanhava no momento do assassinato. Ela saiu algemada do tribunal para ser autuada na 10ª DP, em Botafogo, de onde seria encaminhada para a carceragem feminina da Polinter, em Vila Isabel, zona norte. A condenação foi comemorada pelos parentes da vítima, que se abraçaram e rezaram ao fim do julgamento.Se tivesse sobrevivido, Massaro teria ficado paralítico, pois o tiro provocou uma lesão em sua medula. Ele chegou a ser socorrido no Hospital Miguel Couto, no Leblon, zona sul, onde foi operado. Na época, o crime teve uma grande repercussão. Cerca de 300 pessoas estavam na Cobal quando o tiroteio ocorreu, e o pânico foi generalizado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.