Assassino de jornalista é condenado

Um dos quatro pistoleiros acusados de matar a tiros o jornalista Aristeu Guida, em 1995, em São Fidélis, no norte fluminense, foi condenado a 28 anos de prisão pelo Tribunal do Júri de Niterói.Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público, Vladimir Ranieri Pereira Sobrosa, de 52 anos, e outros três bandidos foram contratados por dois vereadores de São Fidélis para matar Guida, que investigava denúncia de envolvimento deles com roubos de carros.Como a pena de Sobrosa foi superior a 20 anos, ele terá direito a ser submetido a novo júri. Dois dos outros acusados, o policial civil Carlos Marques de Pinho e Isael dos Anjos Rosa não foram julgados porque fugiram depois da denúncia do MP. Juarez Carlos Rodrigues da Silva, outro pistoleiro, foi morto.O caso de Guida teve repercussão internacional ao ser acompanhado pela Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), que mandou um representante para acompanhar o inquérito. Dono do jornal Gazeta de São Fidélis, Guida foi assassinado a tiros na porta da Câmara Municipal da cidade, em 12 de maio de 1995.Naquele dia, ele anunciara que publicaria em seu jornal a transcrição de uma fita que comprovaria a participação dos dois vereadores num esquema de roubo de carros na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.