Assassino de suposto integrante do PCC é preso

A polícia de Franca, a 400 quilômetros de São Paulo, prendeu nesta terça, 25, o assassino de Cledinaldo Peres Neves, de 32 anos. Na noite de domingo, Maikon Rodrigues Machado, de 22 anos, matou Neves e ateou fogo em seu corpo, que foi encontrado próximo de uma plantação de sorgo, onde também são feitos desmanches de carros e motos naquela cidade. Machado foi detido agora à tarde e confessou o assassinato, alegando que a vítima teria destratado sua mãe. A polícia suspeita de envolvimento com tráfico e furto de veículos. E investiga ainda se existe pelo menos um cúmplice no crime. Na casa de Neves a polícia encontrou uma carta dele endereçada a Marcos Camacho, o Marcola, um dos líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), que foi devolvida pelo correio. Na correspondência Neves, que havia retornado a Franca depois de ter fugido da Penitenciária de Ribeirão Preto, dava satisfações e pedia orientações ao líder do PCC. A participação de Machado na morte de Neves está comprovada, tanto pela confissão quanto por provas materiais. A arma do crime foi apreendida com ele. O carro de Neves, um Fiat Tipo, também foi localizado próximo da plantação de sorgo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.