Assembleia do CE vê confronto com sem-terra

Com foices, facões e pedaços de paus, um grupo do Movimento dos Sem-Terra (MST) tentou entrar nas galerias do plenário da Assembleia Legislativa do Ceará, ontem pela manhã, mas foi impedido por policiais militares que fazem a segurança da Casa.

Carmen Pompeu, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2010 | 00h00

Houve confronto entre os manifestantes e a polícia. A deputada Rachel Marques (PT), ao tentar intermediar o conflito, foi atingida no rosto.

À tarde, parte do grupo foi recebida pelo presidente da Assembleia, deputado Domingos Filho (PMDB), que assumiu o compromisso de interceder perante o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), para encaminhar uma pauta de reivindicações elaborada pelo MST.

Entre os pedidos dos sem-terra está um projeto produtivo emergencial para a geração de trabalho e renda em assentamentos e comunidades rurais atingidos pelas secas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.