Assembleia do ES cria CPI para apurar abusos sexuais

O surgimento de 509 novos casos de pedofilia no Espírito Santo em 2008 deixou em alerta os deputados capixabas. Eles criaram a CPI da Pedofilia e um serviço de disque-denúncia. "Temos uma média de cem casos por ano em cada município. É um número alto se comparado com grandes cidades", reconhece a subsecretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, Míriam Dantas. De acordo com um relatório estadual, foram 2.966 casos de abuso no ano passado ante 2.457 em 2007. As vítimas frequentes são crianças pardas, com idade entre 7 e 14 anos, e renda familiar de até um salário mínimo. Os agressores são majoritariamente parentes. O deputado estadual Luiz Carlos Moreira (PMDB), que requisitou a CPI, afirmou que diariamente são registradas cinco ocorrências nas delegacias do Estado. Ginecologista, ele afirma que a maioria dos abusos não é denunciada. "Já presenciei no meu consultório o constrangimento da vítima. Por isso, queremos a criação de juizados, defensorias e distritos especializados para as crianças vítimas de agressões."MAIS CASOSA Justiça de São Paulo determinou a transferência de seis adolescentes, com idade entre 13 e 16 anos, de Murutinga do Sul, na divisa com Mato Grosso do Sul, para abrigos de outras cidades. As vítimas de pedófilos estavam expostas a risco e eram ameaçadas de morte. As denúncias surgiram após os casos de Catanduva e levaram à prisão sete homens. Um dos agressores foi encontrado morto na semana passada, possivelmente por suicídio.Em Araçatuba, um pedreiro de 36 anos foi preso anteontem à noite por abusar da própria filha, de 4 anos. O homem, cuja identidade não foi divulgada, foi denunciado por um vizinho. Depois de ouvir a mãe e pedir exames que comprovaram lesões na vagina da menina, a delegada da Mulher, Luciana Pistori, pediu a prisão temporária de 30 dias, concedida pela Justiça. O pedreiro vai responder por atentado violento ao pudor.Em Francisco Morato, a polícia procura por José de Fátima Mendes, de 31 anos, acusado de abusar de sua sobrinha de 15 anos. Com a garota, teria tido dois filhos. O caso foi descoberto no dia 20, quando a Polícia Militar foi acionada para ajudar no parto da segunda criança. A adolescente chegou à casa do tio quando tinha 8 anos e, desde os 11, era vítima de violência sexual. A outra criança tem 1 ano e 2 meses. PEDRO DANTAS, SOLANGE SPIGLIATTI e CHICO SIQUEIRA

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.