Assembléia do Rio aprova catracas eletrônicas em ônibus

A Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro aprovou nesta terça-feira o substitutivo do projeto que institui o sistema de catracas eletrônicas nos ônibus. A implementação do sistema deve ser iniciada até 360 dias após a sanção da lei. A proposta gerou revolta entre estudantes da rede pública, que temem a limitação do passe livre a 60 viagens mensais. A manifestação dos estudantes contra o projeto foi reprimida com violência pela Polícia Militar. Cerca de 200 adolescentes que interditavam a Rua Primeiro de Março, uma das mais movimentadas do centro, foram agredidos por policiais com chutes e golpes de cassetete. Um PM perseguiu um estudante de 16 anos empunhando um fuzil apontado em sua direção.Durante a confusão, o vidro de um ônibus foi quebrado por estudantes, um oficial da PM deu um soco no rosto de um adolescente e uma menina de 15 anos que protestava deitada na pista foi agredida na cabeça. Uma bomba de gás foi lançada contra os manifestantes.O comandante do 13.º Batalhão da PM, Giovani Laropresi, afirmou que houve ?apenas uma ação policial para desobstruir a via pública?. ?A criançada partiu para cima dos policiais e, como não há liderança, fica difícil controlar. Fatos isolados não comprometem o trabalho?, disse ele, referindo-se às agressões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.