Assessor acusa vereador de ficar com salário em Sorocaba

O vereador Gervino Gonçalves (PL), de Sorocaba, também conhecido como Cláudio do Sorocaba 1, é acusado de ficar com parte dos salários de seus assessores parlamentares. A denúncia foi feita terça-feira (15) pelo ex-assistente parlamentar Messias Sebastião da Silva, logo após ser demitido. Silva contou que recebia R$ 1.860 mensais líquidos e era obrigado a devolver R$ 890 ao chefe de gabinete, Ronaldo Campos de Arruda. A verba seria usada para compor o caixa de campanha do vereador. O ex-assistente mostrou um extrato bancário com o depósito do salário e o saque da importância para comprovar a denúncia. Ele disse ter informações de que os outros quatro assessores do vereador fazem a mesma coisa. O assistente procurou a imprensa para fazer a denúncia minutos depois de ser demitido. Outro assistente, Aílton Batista de Souza, barrou o colega no corredor da Câmara e tentou impedi-lo de revelar o esquema. O vereador e o chefe de gabinete negam a acusação. Gonçalves atribui a denúncia a uma retaliação do ex-assessor por ter sido demitido. A Mesa da Câmara pretende ouvir o denunciante e o vereador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.