Assessor da Ericsson é morto na zona leste de SP

O assessor empresarial da fornecedora de equipamentos de telecomunicações Ericsson, o português Antonio Carlos Almeida, de 49 anos, foi assassinado, com um tiro na cabeça, durante um possível seqüestro-relâmpago, na zona leste da capital paulista, no final da noite de ontem.O corpo do engenheiro foi encontrado, por volta da 0h30, no banco traseiro de seu veículo, um Renault Megane prata, placas DDA 4482-SP, na rua Rodeio, Jardim Santa Inês, próximo à favela do Jadim Pantanal.No momento em que policiais militares da 2ª Companhia do 02º Batalhão chegaram no local do crime, encontraram o veículo com a porta traseira esquerda aberta e a vítima com metade das pernas para fora do veículo, que estava com o pára-lama dianteiro direito amassado.O delegado do 63º Distrito Policial, de Vila Jacuí, onde o caso foi registrado, Ivo Pinheiro Nunes, acredita que a vítima deve ter sido abordada pelos bandidos em um cruzamento da avenida Assis Ribeiro, local de grande índice de roubos; e depois acabou baleada na cabeça.Segundo a polícia, o reitor da Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul), Wilson Zampieri, foi até o local do crime após ser avisado sobre o ocorrido, mas não há a confirmação de que Antonio Carlos Almeida também era funcionário da universidade ou apenas amigo do reitor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.