Assessor de vereador é assassinado no Tatuapé

A polícia da Capital suspeita de que tenha sido passional o crime ocorrido na noite de ontem, no Largo São José do Maranhão, no Tatuapé, zona leste. Carlos Alberto de Almeida Bertti, de 53 anos, assessor parlamentar do vereador Eliseu Gabriel, do PSB, foi baleado no peito e morreu ao ser socorrido no pronto-socorro do Tatuapé. O inquérito para esclarecer esse crime foi instaurado no 52º Distrito Policial, Parque São Jorge. O carro Brava de cor cinza, pertencente à vítima, estava estacionado próximo à igreja, naquela praça, com a porta do passageiro aberta. Bertti foi encontrado, baleado no lado esquerdo do peito, caído a dez metros do veículo. Policiais militares que estiveram no local apuraram que o assessor do vereador era bastante conhecido na região, por emprestar dinheiro a juros altos. Esta atividade pode ter-lhe rendido um número expressivo de inimigos. Morador no bairro da Penha, Carlos Alberto era casado, mas se encontrava em processo de separação. Comenta-se que tinha envolvimento com uma mulher casada residente nas proximidades do local onde foi baleado. Contam testemunhas que ele já emprestou ao casal R$ 45 mil. Depois, o marido foi preso e Bertti passou a viver um caso com a mulher. O assessor, inclusive, teria uma vaga no estacionamento do prédio em que ela reside.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.