Assessor parlamentar pega 12 anos por pedofilia

O assessor parlamentar Gilvandro de Souza Barbosa, de 43 anos, foi condenado, hoje, a 12 anos de reclusão em regime fechado pela 2ª Câmara Especial do Tribunal de Justiça, acusado de pedofilia em Campinas (SP).O Tribunal por unanimidade rechaçou recurso da defesa, que pleiteava a absolvição sob alegação de insuficiência de provas.Em janeiro de 2001, Gilvandro trouxe de Belém (PA) um grupo de 16 adolescentes, 12 deles menores de 18 anos, prometendoque os colocaria em clubes profissionais de futebol. Todos foram instalados em uma casa no Jardim Santa Marina, emCampinas, onde sofreram abusos sexuais, até que Gilvandro foi denunciado à polícia em 26 de março de 2001.Gilvandro foi também acusado de maltratar e explorar os garotos, reduzindo-os a "condições análogas de escravos", mas foi absolvido desse crime.

Agencia Estado,

19 de maio de 2004 | 17h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.