Assessor político é acusado de matar a família em Hortolândia

O suposto crime é o segundo caso do gênero na região em menos de duas semanas

Tatiana Fávaro, do Estadão

22 Julho 2007 | 19h11

O assessor político Reginaldo Ribeiro Santos, de 33 anos, é suspeito de matar sua mulher, a monitora escolar Lucimara Paschuni, 26 anos, e seus dois filhos, Daniel e PabloPaschuni Ribeiro dos Santos, 4 e 6 anos, respectivamente. O crime aconteceu neste fim de semana em Hortolândia, região Metropolitana de Campinas. A Polícia Civil já determinou a prisão do assessor.   De acordo com a Polícia Militar de Hortolândia, Santos foi encontrado ferido e deitado no chão de sua residência, no Jardim Amanda, periferia da cidade, na manhã de hoje. Na sala da casa, foi encontrada Lucimara, já sem vida e com facadas na região abdominal e nas costas, e os dois garotos - um no banheiro e outro, em um quarto - ainda com vida.   Daniel, Pablo e o pai foram levados para o pronto-socorro da cidade. Os meninos morreram no hospital. Santos foi transferido para um hospital em Sumaré onde, segundo a polícia, teria passado por uma cirurgia e não corre risco de morte. O suposto crime em Hortolândia é o segundo caso do gênero na região em menos de duas semanas.   Há nove dias, o eletricista Marcos Rodrigues Moreira, 50 anos, atirou nos três filhos, de 8, 11 e 13 anos e se matou em sua residência, na Vila União, em Campinas.

Mais conteúdo sobre:
Morte pai mãe Hortolândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.