Associação diz que não devolve locomotiva para Sorocaba

A Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) não pretende devolver a locomotiva "maria-fumaça" que retirou do patrimônio histórico de Sorocaba. Segundo o diretor Hélio Gazzetta, a máquina a vapor pertence à Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA) e foi cedida por meio de convênio à entidade. O termo de cessão foi publicado no Diário Oficial da União de 3 de abril deste ano. "A locomotiva não é da prefeitura de Sorocaba e o fato de ter sido incluída no patrimônio histórico local não impede que seja usada em outra cidade." Segundo ele, a ABPF tentará revogar a ordem de apreensão da "maria-fumaça" dada pelo juiz José Elias Themer, da 7ª Vara Cível de Sorocaba. Gazzetta disse que a prefeitura não arcou com o valor dispendido na reforma da máquina. O custo chegou a R$ 28 mil e a ABPF cedeu componentes para que a locomotiva voltasse a funcionar. "Essa é uma das poucas máquinas que funcionam, por isso precisamos dela na linha turística." Segundo ele, se a prefeitura de Sorocaba quiser, a entidade cede outra locomotiva para ficar exposta na cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.