Associação pede investigação criminal sobre voo 447 no Brasil

Parentes das vítimas querem ao menos que órgão brasileiro acompanhe investigações feitas pelos franceses

Agência Brasil,

26 Agosto 2009 | 15h07

A Associação dos Familiares das Vítimas do Voo Air France 447 entraram nesta semana, na Procuradoria-Geral da República, com pedido de abertura de inquérito criminal contra os possíveis responsáveis pelo acidente. O avião da companhia aérea francesa caiu no Oceano Atlântico, na noite de 31 de maio deste ano, depois de sair do Rio com destino a Paris.

 

Veja também

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

documento Relatório da BEA sobre o acidente (em inglês)

especialLeia íntegra da entrevista com o diretor da Air France

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas da FAB pelo Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo 

 

Segundo o diretor da associação, Nelson Faria Marinho, hoje todas as investigações estão sendo feitas pelas autoridades francesas. "A investigação ficou a cargo do BEA, que é um órgão francês, e ninguém está acompanhando aqui [no Brasil]. Então, estamos pedindo às autoridades brasileiras que acompanhem essas investigações e criminalizem [os responsáveis], porque houve um crime", disse.

 

Cópias do pedido de abertura da investigação criminal foram entregues à Presidência da República, ao Ministério das Relações Exteriores, à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e ao Congresso Nacional e também à Embaixada da França no Brasil. Nelson Marinho também lamentou o fim das buscas à caixa-preta e aos corpos das vítimas. Das 228 pessoas que estavam a bordo do AF 447, apenas 51 corpos foram encontrados e identificados.

Mais conteúdo sobre:
voo 447AirbusAir France

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.