Associação quer testar coletes usados por policiais do Rio

A Associação do Militares Auxiliares e Especialistas (Amae) vai impetrar, esta semana, um mandado de segurança no Tribunal de Justiça para exigir que os coletes usados por policiais do Rio sejam testados pelo Inmetro. De acordo com o presidente da Amae, tenente Melquisedec Nascimento, os coletes usados atualmente são ineficazes contra armas usadas por traficantes, como fuzis AR 15 e AK 47. Ele citou o caso do tenente Alexandre Sarmento, morto ontem, numa operação no Morro de São Carlos, zona norte do Rio. O policial foi atingido no peito por um tiro de fuzil que atravessou o colete à prova de balas.Nascimento disse também que o número de coletes é insuficiente para a corporação, e que quase 400 policiais já foram mortos este ano, dos quais 117 só no Rio. Segundo ele, as irregularidades devem ser apuradas através da instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito. Ele informou também que familiares de policiais fluminenses marcaram uma caminhada na orla de Copacabana, no próximo dia 12, "para protestar contra a apatia dos deputados federais em instalar a prometida comissão". As informações são da Radiobrás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.