Astucioso Igor escapa da prisão em lata de lixo

A astúcia de Igor Saulo de Oliveira, de 21 anos, condenado por latrocínio e cumprindo pena de 20 anos na Penitenciária Estadual de Pacaembu, na região da Nova Alta Paulista, no interior do Estado de São Paulo, desafiou todo o sistema de segurança daquele estabelecimento. Na tarde do dia 1°, quando era feita a contagem dos presos, foi registrada a sua falta.O mesmo fato já havia sido constatado na lista de presos que estariam trabalhando naquele dia. Transferido de São Paulo, Igor Saulo de Oliveira era considerado um detento quieto e de pouca conversa, muito embora pesasse sobre ele a vinculação ao PCC.Sobre a sua fuga pouco se sabe, já que a Diretoria da Penitenciária Estadual de Pacaembu determinou a abertura de sindicância para apurar as responsabilidades e o possível envolvimento tanto de presos quanto de funcionários, cujos trabalhos tiveram início nesta quinta-feira à tarde.O compromisso da Comissão de Sindicância é saber também como Igor conseguir sair sem ser visto, pela porta principal daquele presídio, cuja recepção está localizada a 50 metros da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, ou SP-294. O lixo da cozinha é retirado diariamente à noite e colocado em tambores, numa área reservada para tal.Todo o processo de colocação e retirada dos tambores no caminhão ou trator, este último responsável pela coleta naquele dia, é feito pelos próprios detentos. Igor, segundo consta, entrou num dos tambores cheios de lixo e restos de comida e aguardou a saída do trator, até sua colocação na parte externa do presídio.Comenta-se que o plano de fuga de Igor foi muito bem estudado e que tudo foi considerado em detalhes, desde como seria feita a coleta de lixo até que naquele dia não haveria uma revista rigorosa dos tambores. O fato de ter deixado suas roupas no local de coleta de lixo na área interna do presídio, não descarta a possibilidade de que ele já tivesse feito contato com comparsas do grupo e que os mesmos o aguardavam na Rodovia. Todo o sistema foi acionado, mas até o momento não se têm informações de seu paradeiro. Há suspeita de que tenha retornado para São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.