Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Ataque a ônibus termina com motorista baleado na zona norte do Rio

Dois homens pararam o coletivo e ordenaram que todos os passageiros descessem; condutor foi encaminhado em estado grave para o hospital depois de ser atingido na cabeça

Ricardo Valota, do estadão.com.br

25 Novembro 2010 | 01h23

 SÃO PAULO - O motorista de um ônibus foi baleado, por volta das 23h45 de quarta-feira, 25, na Avenida Brasil, na região da Penha, zona norte do Rio, durante mais uma ação dentro desta onda de violência que se espalhou pela capital, Região Metropolitana e Baixada Fluminense desde o último domingo, 21.

 

Segundo a Polícia Militar, dois homens pararam o coletivo, ordenaram que todos os passageiros descessem e incendiaram o veículo. Durante a ação, o condutor do ônibus foi baleado na cabeça. Não se sabe ainda se o tiro foi disparado por um dos dois incendiários ou se por uma terceira pessoa. Não foi esclarecido também se houve alguma reação por parte da vítima.

O motorista, ainda não identificado, foi encaminhado em estado grave ao hospital estadual Getúlio Vargas, onde passava por cirurgia. Até a 1h15 desta madrugada de quinta-feira, 25, nenhum suspeito havia sido detido pela polícia. O caso deve ser registrado na 22ª delegacia.

 

Mais dois veículos foram incendiados

Na madrugada, entre a 0h e 1h45 desta quinta-feira, 25, foram incendiados mais dois carros. O primeiro foi encontrado em chamas na rua Jornalista Orlando Dantas, no bairro de Laranjeiras, zona sul. O segundo, na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, zona oeste. Em ambos os casos, os criminosos não foram identificados por testemunhas nem detidos pela polícia. Não houve feridos.

Em patrulhamento pela rua da Laranjeiras, em Laranjeiras, policiais militares detiveram um homem que carregava um coquetel molotov dentro de uma mochila. Não se sabe ainda se ele possui participação no caso ocorrido na rua Jornalista Orlando Dantas.

Texto atualizado às 4h03.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Rio ataques ônibus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.