Ataque de abelhas leva oito pessoas para Hospital de Peruíbe

Oito pessoas, entre elas três crianças, foram atacadas por abelhas africanizadas (uma mistura da européia com a africana) na tarde de segunda-feira, 18, em Peruíbe, no litoral Sul de São Paulo. As vítimas foram atendidas na Unidade Hospitalar de Peruíbe. As pessoas foram atacadas no bairro Ruínas do Abarebebê. De acordo Sargento do Corpo de Bombeiros de Peruíbe, Décio Antunes, a informação que chegou aos bombeiros é de que alguém havia mexido na colméia, que estava no chão, para tentar tirar o mel. "O calor já deixa as abelhas irritadas, daí como foram cutucar a casa delas, elas saíram para atacar mesmo".O diretor técnico do hospital, Marcio Antonio Rodrigues, as pessoas ficaram internadas por 12 horas, em observação. "Elas não chegaram a correr risco de morte, mas estavam bem picadas", disse. De acordo com o médico, picadas de abelhas dão uma reação alérgica que causam comprometimento respiratório e podem levar a um choque anafilático."Mas os pacientes desse caso só tiveram reações cutâneas", explica Rodrigues, que admite que atende pessoas picadas por insetos, escorpiões ou aranhas semanalmente. "É comum numa cidade com tanta área rural como a nossa", justifica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.