Ataques continuam: bomba em shopping e caminhões de lixo incendiados

Novos ataques aconteceram nesta madrugada na capital e no interior do Estado de São Paulo.Dois caminhões de lixo foram atacados por incendiários na zona leste da capital paulista. O primeiro ataque ocorreu por volta das 21h30 de quinta-feira na altura do nº 163 da Rua Cristóvão de Salamanca, no Conjunto José Bonifácio, região de Itaquera. O segundo foi realizado, praticamente no mesmo horário, na Rua Cuiatê, no Jardim São Paulo. Por causa do curto espaço de tempo entre os dois ataques e a proximidade dos dois locais onde eles ocorreram, a polícia acredita que as ações foram realizadas pelo mesmo grupo.Os dois caminhões pertencem à empresa Eco Urbis, cuja direção afirmou, após os ataques, que estava recolhendo todos os seus veículos, um total de 178, que atendem as regiões leste e sul da cidade. A coleta de lixo é feita das 19 horas às 2 horas da madrugada. Uma bomba de fabricação caseira explodiu nas Lojas Pernambucanas do Shopping Aricanduva, na Vila Matilde, zona leste de São Paulo, sem deixar feridos. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, três veículos foram danificados com a explosão da bomba.Uma agência do Banco Itaú, localizada na Avenida Celso Garcia, número 883, na zona leste da capital, foi incendiada. Três equipes do Corpo de Bombeiros foram enviadas ao local. Em mais um ataque atribuído ao Primeiro Comando da Capital (PCC), um ônibus em chamas invadiu, quinta-feira às 19h30, uma casa na Vila Albertina, zona norte da cidade. Testemunhas relataram o procedimento costumeiro dos bandidos: munidos de coquetel molotov, pediram que todos descessem e atearam fogo no ônibus da linha 1786 - Santana/Vila Albertina, da Viação Sambaíba. "Eram três caras, quando o ônibus começou a pegar fogo eles já estavam fugindo nas motos", disse Henrique Nóbrega, de 21 anos, técnico em informática. Henrique contou que o motorista, ao descer do ônibus, esqueceu de puxar o freio e o ônibus estava em uma descida. O resultado disso foi um incêndio em uma das casas da rua, na altura do nº 250, destruindo toda a fachada da residência, um automóvel que estava na garagem, móveis, geladeira e fogão. O policial civil João Correia Neves, de 56 anos, foi baleado, por volta das 19 horas de quinta-feira, no interior da Panificadora Nakamura, na zona sul da capital paulista. Segundo testemunhas, dois homens, ocupando um Voyage prata, pararam em frente ao estabelecimento comercial e atiraram contra Neves, que trabalha como escrivão de polícia no 100º Distrito Policial, do Jardim Herculano.O motorista de ônibus Manoel Francisco da Silva, de 44 anos, funcionário da Viação Ouro Verde, teve quase 90% do corpo queimado por volta das 20h30 de quinta-feira, no bairro de Santa Luiza, em Nova Odessa, na Região Metropolitana de Campinas, durante um ataque ao coletivo que ele dirigia. Segundo os passageiros que levaram Manoel ao pronto-socorro municipal, o motorista não conseguiu sair a tempo de escapar das chamas após criminosos entrarem no coletivo de atearem fogo. O estado de saúde do motorista é grave. Uma hora depois, em Americana, na mesma região, criminosos incendiaram um coletivo da empresa VCA. O ataque ocorreu em Vila Bertini, mas, desta vez, não houve presos nem feridos.Mais ataquesEntre o final da noite de quinta e início desta madrugada, dois ônibus foram destruídos por grupos de incendiários na Grande São Paulo e no interior. Um dos ataques ocorreu na Avenida Açucaral, no Jardim Açucaral, próximo a um aterro sanitário, em Osasco, na Grande São Paulo. Outro foi registrado na altura do nº 806 da Avenida Paraguai, no Jardim Barcelona, em Sorocaba, interior do Estado. Segundo a polícia, motorista, passageiros e cobrador foram obrigados a sair do coletivo, que foi incendiado.Por volta das 2 horas desta madrugada, um grupo de homens tentou atear fogo contra o prédio do 24º Distrito Policial, localizado na altura do nº 3.551 da Avenida São Miguel, em Ermelino Matarazzo, na zona leste da capital paulista. Segundo testemunhas, os bandidos ocupavam um veículo Fiat e, antes de fugirem, abandonaram um coquetel molotov em frente à delegacia. Alguns policiais testemunharam os criminosos preparando o coquetel e saíram da delegacia. Dois dos suspeitos foram detidos. Na garrafa pet usado no coquetel havia a seguinte frase: "A pobreza amplia a tragédia".Em Diadema, na Grande São Paulo, uma concessionária de carros foi alvo de incendiários. Dentro do estabelecimento comercial, localizado na altura do nº 127 da Rua Frei Ambrósio de Oliveira, no Jardim Eldorado, quatro carros foram destruídos segundo as primeiras informações. Cinco equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas. Ninguém foi preso.Quatro ataques ocorreram na cidade de Piracicaba. Um ônibus foi incendiado por volta das 21h40 no bairro Novo Horizonte, mas não houve feridos. O terminal de ônibus do bairro Santa Terezinha, foi alvo de incendiários, que jogaram um coquetel molotov contra as catracas. Outro grupo jogou um coquetel por volta das 23h30 contra o pátio do 5º Distrito Policial, em Santa Terezinha. Mais dois coquetéis foram jogados por volta da zero hora contra a casa de um policial militar no Jardim Sônia.Segundo a Central de Operações da Polícia Militar de Santos, litoral sul, por volta de 2 horas, duas agências bancárias - uma do Bradesco e outra do Itaú - e uma loja da rede de supermercados CompreBem, localizadas na Avenida Pedro Lessa, esquina com Avenida Ricardo Pinto, no bairro Aparecida, foram alvo de disparos. Ninguém foi preso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.