Até 2008, São Paulo terá mais cinco corredores de ônibus

Com um investimento de R$ 314,5 milhões, a Prefeitura pretende construir mais 53,1 km

Fernanda Aranda, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2024 | 00h00

Até o fim de 2008, São Paulo vai ganhar mais 53,1 quilômetros de corredores exclusivos de ônibus, distribuídos em cinco trechos diferentes nas zonas leste, norte, sul e oeste. A promessa foi feita ontem pelo novo secretário municipal de Transportes, Alexandre de Moraes, que aposta nas inaugurações como medida de acelerar o tempo gasto nos itinerários e incentivar o uso de transporte público. O custo estimado de todas as obras é de R$ 314,5 milhões.''''Na terça-feira, fiz uma reunião com os diretores da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb) para acelerar essas obras. Além de entregar os cinco novos corredores, que já estavam em projeto, até o final da gestão (2008), vamos também reformar o corredor da Rebouças (zona oeste) e remodelar Varginha (zona sul), que está um pouco afastado das linhas'''', afirmou o secretário.De acordo com Moraes, a previsão é que em 60 dias seja aberto o processo de licitação para as obras dos corredores. Quando ficarem prontas, as novas faixas exclusivas serão somadas aos 113,5 quilômetros nas dez pistas para ônibus já existentes na capital. Pelos projetos, os novos corredores devem ser implantados nos percursos São Miguel/Celso Garcia/Centro, na Avenida Brás Leme, na Avenida Luís Carlos Berrini, no corredor Indianópolis/Brasil/Sumaré, além do Corifeu/Jaguaré/Faria Lima.Para o consultor de trânsito e ex-secretário municipal de Transportes Getúlio Hanashiro, os corredores de ônibus são as soluções mais viáveis para melhorar a qualidade do transporte público de São Paulo. ''''O ideal seria mesmo ampliar as linhas de Metrô, mas o custo é alto (U$ 100 milhões o quilômetro). Nesse cenário, o corredor exclusivo de ônibus é a melhor alternativa. Prioriza o transporte público em relação ao transporte particular.''''''''Estamos assistindo nos últimos anos uma migração de passageiros de ônibus para o automóvel, o que resulta nesses congestionamentos infernais diários. A única forma de convencer o paulistano a deixar o carro na garagem e usar o ônibus é melhorar a qualidade do transporte'''', disse o professor da Escola Politécnica da USP e consultor de trânsito Jaime Waisman. ''''O primeiro passo é garantir a rapidez, um dos benefício conseguido corredor.''''Hanashiro e Waisman ressaltam que, para o corredor cumprir os seus objetivos principais (rapidez no trajeto e o transporte do maior número possível de pessoas em uma mesma viagem), é necessário manutenção e fiscalização das faixas exclusivas. ''''Hoje, os corredores estão superlotados, ocupados também por ônibus de porte menor. Isso não pode acontecer. Devem transitar pelos corredores apenas ônibus biarticulados'''', disse Hanashiro.MANUTENÇÃOEm fevereiro, a reportagem visitou os corredores de ônibus e encontrou uma situação de degradação. Os pontos estavam sem iluminação, faixas de sinalização apagadas e o asfalto com buracos. A São Paulo Transporte (SPtrans) criou um departamento exclusivo para cuidar da manutenção dos corredores.No mês que vem, a empresa promete reformar sete corredores . São eles: Pirituba/Lapa/Centro, Paes de Barros, Parelheiros/Rio Bonito/Santo Amaro, Itapecerica/João Dias/Santo Amaro, Jardim Ângela/Guarapiranga/Santo Amaro, Santo Amaro/ Nove de Julho/ Centro, além do Capelinha/Ibirapuera/Centro. FRASESAlexandre de MoraesSecretário de Transportes"Além de entregar os cinco novos corredores, que já estavam em projeto, até o final da gestão, vamos também reformar o corredor da Rebouças e remodelar Varginha."Jaime WaismanConsultor de trânsito"Estamos assistindo nos últimos anos uma migração de passageiros de ônibus para o automóvel, o que resulta nesses congestionamentos infernais."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.