Até carrinho de pipoca é abençoado no Dia de São Cristóvão

Carrinhos de pipoca, motociclistas apressados, viaturas policiais, carros de passeio, carteiras de habilitação. Fiéis fizeram de tudo nesta terça-feira para receber bênçãos no dia de São Cristóvão, considerado o padroeiro dos motoristas. A Igreja de São Cristóvão, localizada na Avenida Tiradentes, na Zona Norte de São Paulo, recebeu, até as 20h, cerca de 20 mil veículos.O padre João Benedicto Villano, pároco do templo, foi quem deu a maioria das bênçãos. Além de dar um banho de água-benta nos carros, Villano ainda abençoou as pessoas dentro dos veículos. Numa segunda etapa, outros padres entregavam santinhos para um bom ano ao volante. Segundo o pároco, o dia também foi muito especial porque foram celebrados 150 anos de construção do primeiro Seminário Episcopal de São Paulo.A fé no poder do santo padroeiro dos motoristas é tão grande que fez o autônomo Aldemir Lopes, 35 anos, sair de Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, para benzer seu Corsa. ?Todo ano eu venho aqui porque me dá sorte. Já me acostumei com essa igreja.?Na fila dos ?sem-carro? estava a dona de casa Maria Rita De Azoli, 62 anos. Ela saiu de Guarulhos para resolver um problema na Zona Norte. ?Acabei vendo a movimentação e resolvi parar.? Maria Rita benzeu a chave de seu carro. Angelina Maria Rodriguez, diretora de uma creche da região que atende crianças carentes, estava emocionada. ?Já é tradição trazermos 60 crianças para assistir às missas celebradas ao longo do dia.?Um dos momentos mais esperados do dia foi a missa das 15h, realizada pelo cardeal-arcebispo de São Paulo, D. Cláudio Hummes. Três horas depois, houve a procissão de São Cristóvão, em que a imagem do santo foi levada pelos devotos pelas ruas da Luz.O nome Cristóvão, que em grego é escrito ?Cristophoros?, significa ?aquele que carrega Cristo?. Ele é considerado o padroeiro dos motoristas porque, de acordo com a lenda, foi uma espécie de balseiro que levava os viajantes de uma margem à outra de um grande rio. Existe uma crença popular muito antiga, surgida na Idade Média, segundo a qual quem olhasse para a imagem de São Cristóvão passaria o dia sem sofrer dano. Os católicos que não tiveram a chance de visitar a igreja podem ir ao templo na quarta-feira para homenagear o santo. A Igreja de São Cristóvão fica na Avenida Tiradentes, 84, e mantém a mesma construção do século retrasado: modesta, como muitas paróquias da São Paulo antiga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.