Atenção é total em presídios de SP; quinze indultados são presos

O clima neste Dia dos Pais é de atenção nas penitenciárias de São Paulo, principalmente no oeste paulista, onde está detida a maioria dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC). A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) adotou medidas de emergência para evitar rebeliões em massa nas visitas deste domingo.De sexta-feira até o início da noite deste sábado, 15 presos autorizados a sair dos presídios foram detidos de novo, e dois foram mortos, segundo a Secretaria da Segurança Pública.As medidas de contenção nos presídios, entre elas o envio de unidades da tropa de choque da Polícia Militar para perto das penitenciárias, começaram a ser tomadas depois que o serviço de informações da SAP detectou que a facção estaria planejando uma série de rebeliões. O motim começaria às 15 horas, na Penitenciária de Caiuá, região de Presidente Prudente, e se espalharia para outros presídios.Outra medida foi liberar a saída de presos para visitas em etapas. Com isso, evita-se um contato maior entre agentes e detentos e menor número de reféns, em eventuais motins.A inteligência da SAP também trabalha com a hipótese de o PCC usar as rebeliões para promover ataques. "Eles se aproveitariam que a PM estaria com atenções voltadas para os motins para atacar autoridades do oeste do Estado", disse uma fonte da PM.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.