Corpo de Bombeiros/Divulgação
Corpo de Bombeiros/Divulgação

Atentados de facções criminosas em SC atingem 31 cidades

Casas de policiais, carros da Prefeitura, delegacias e bases da Polícia Militar são alvo dos atentados que tiveram início em 30 de agosto

Marcone Tavella, Especial para O Estado

06 de setembro de 2017 | 12h27

FLORIANÓPOLIS - Subiu para 31 o número de municípios catarinenses atingidos pela nova onda de atentados no estado. Os ataques - 52 desde o dia 30 de agosto - seriam comandados por facções criminosas ligadas ao tráfico de drogas, de acordo com o governo de Santa Catarina. Quarenta e um suspeitos foram detidos e seis acabaram mortos em confronto com a polícia. 

Entre a noite desta terça-feira, 5, e a madrugada desta quarta-feira, 6, foram registrados três incêndios, além de disparos contra a casa de um policial, uma base da Polícia Militar e uma delegacia.

O governo mantém em sigilo detalhes da operação que está sendo feita para tentar conter a ação dos criminosos e o comando da PM reforçou que não divulgará balanço das ocorrências com detalhes de hora e local como medida de segurança.

Os atentados na noite desta terça começaram às 20h30, quando uma delegacia em Balneário Camboriú recebeu seis tiros de criminosos que teriam passado de moto pela BR-101. Meia hora depois, o carro de um ex-agente prisional foi incendiado em Tubarão. Os bombeiros foram acionados em Laguna para conter as chamas em um caminhão da coleta de lixo da cidade.

Em Imaruí, à meia-noite, um suspeito de atear fogo em quatro carros da Prefeitura foi detido. No mesmo horário, em Florianópolis, a casa de um policial foi alvo de tiros. Também recebeu disparos a base da PM no município de Palhoça, por volta das 5 horas.

Tudo o que sabemos sobre:
Santa Catarina [estado]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.