Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Manifestantes brigam durante ato em frente ao Museu Nacional

Eles reprovaram a presença do herdeiro da família Imperial, Dom João de Orleans e Bragança, bisneto da Princesa Isabel, que foi conferir o estado do prédio

Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo

03 Setembro 2018 | 13h49

RIO -  Manifestantes que estão no Museu Nacional protestando em defesa da educação pública e defensores da monarquia brigaram dentro da Quinta da Boa Vista. A Guarda Municipal teve de intervir e usou até spray de pimenta. 

Os manifestantes reprovaram a presença do herdeiro da família Imperial, Dom João de Orleans e Bragança, bisneto da Princesa Isabel, que foi conferir o estado do prédio. A construção abrigou a família no século 19. Foi uma briga rápida e que logo foi dissipada.

Eles estavam retidos nos portões da Quinta da Boa Vista desde cedo - de manhã, só a imprensa e funcionários do museu tiveram a entrada permitida. 

O ato foi convocado domingo pela União Estadual dos Estudantes, depois que a notícia do incêndio no museu se espalhou. Os estudantes trazem bandeiras em defesa da educação pública, contra o corte de recursos e de crítica ao governo Michel Temer (MDB).

A Guarda Municipal estava fazendo a contenção dos manifestantes. Eles estavam atrás de uma cerca de 500 metros do prédio, onde bombeiros ainda trabalham. Para as 14h30 está prevista entrevista no local do ministro da Cultura,  Sérgio Sá Leitão, e da Educação, Rossielli Silva. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.