Atores recontam a história de SP

O rico fazendeiro está perdido na Avenida Paulista. Pede informações a uma bela lavadeira, que tinha dado uma escapadinha do serviço e passeava pelo Parque Trianon. A morena indica ao visitante onde fica a rua procurada e diz que agora ela se chama Augusta. E fala dos casarões que ocupavam a avenida, dos prédios que os substituíram com o progresso e dos 74 metros do vão livre do Masp. Da história da Paulista pinta um clima entre o fazendeiro e a lavadeira, e a satisfação de quem aprendeu mais sobre a avenida em um passeio a pé e de metrô.Sim, as pessoas que testemunharam o romance entre os personagens dos atores Val Veríssimo e Jorge Paulo chegaram até lá depois de duas viagens de metrô e algumas caminhadas pela Paulista. Os atores não estavam lá à toa. Fazem parte das cenas incluídas nos passeios do Turismetrô, parceria que será lançada hoje pela São Paulo Turismo (SPTuris) e pelo Metrô.A idéia é simples e vem a calhar na semana em que São Paulo faz 452 anos: aproveitar um sistema de transporte público rápido e seguro para que turistas e paulistanos conheçam alguns dos locais mais importantes da cidade. Para o passeio não ser um mero city tour sem as janelas e o ar-condicionado dos ônibus, atores usam cenas corriqueiras, como a da lavadeira e do fazendeiro, para contar a história da metrópole e completar informações dos guias.?É uma forma simpática, barata e segura para o paulistano, o brasileiro ou o estrangeiro fazer turismo pela cidade?, disse o presidente da SPTuris, Caio Carvalho. Hoje, ele e o presidente do Metrô, Luiz Carlos David, fazem o passeio inaugural, no centro.A partir de amanhã, qualquer pessoa pode chegar à Estação Sé e acompanhar um dos roteiros. Os passeios serão feitos nos fins de semana ? uma saída nos sábados e duas nos domingos ? e o custo é bastante razoável: de um a três bilhetes do metrô (de R$ 2,10 a R$ 6,30).Pelos cinco roteiros, os grupos de até 25 pessoas vão passar por pontos históricos e turísticos de São Paulo. ?Normalmente, nem as pessoas que vivem aqui têm tempo de conhecer a cidade. Nos ensaios, os paulistanos pararam para ver?, disse Jorge Paulo. ?As pessoas vão gostar porque são pessoas comuns, como elas, contando o que se passou aqui?, emendou Val Veríssimo. PersonagensVal e outros oito atores vão se revezar em quatro dos cinco roteiros do Turismetrô. Eles encarnarão personagens como a noiva abandonada em frente da Igreja de Santo Antônio, na Praça do Patriarca, a dupla de escravos sobre o Viaduto do Chá e a mulher que poderia ter gritado em sessões de tortura nos porões do antigo Dops. ?Quisemos fugir do clichê de retratar figuras históricas.A proposta foi criar cenas cotidianas, para tornar a história mais concreta?, disse Renato Benedetti, autor das oito cenas, dirigidas por ele e Nina Mancin.Muitas dessas cenas são cômicas e leves. Só uma foge à regra, por motivos óbvios: a passagem pelo Memorial da Liberdade, antigo Dops, na Luz. Lá, a atriz fala dos gritos dados pelos torturados, mas também de liberdade. ?Não podíamos chocar as pessoas simulando um espancamento, mas temos como fazê-las refletir sobre o que aconteceu?, disse Benedetti.Quem acompanhar os passeios do Turismetrô terá direito a alguns benefícios. A entrada será livre no Museu de Arte Sacra, na Estação Pinacoteca e no Memorial do Imigrante. No Masp, o visitante terá direito a desconto de 50%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.