Atraso nos vôos afeta trabalhos no Congresso Nacional

O caos nos aeroportos brasileiros já afetou até mesmo os trabalhos no Congresso Nacional, que vai começar investigar as causas da crise no setor. O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, tinha audiência pública na Comissão Mista de Orçamento (Câmara e Senado) marcada para a manhã desta terça-feira, 31, mas teve o compromisso adiado por falta de quórum. Os parlamentares não conseguiram da comissão não conseguiram chegar a tempo para audiência por causa dos atrasos nos vôos que passam ou se destinam à Brasília."Em função da situação caótica que se encontram os aeroportos, muitos parlamentares estão levando até dez horas para chegar em Brasília", disse o senador Leomar Quintanilha (PC do B-TO) sobre o adiamento. Na audiência desta terça, Meirelles apresentaria aos parlamentares um balanço referente ao primeiro semestre das políticas monetária, de crédito e cambial. Essa prestação de contas ao Congresso é semestral e obrigatória, prevista na Lei de Responsabilidade Fiscal. Meirelles já estava a caminho, quando foi avisado do adiamento. A comissão chegou a distribuir material com o resumo da fala do presidente do BC.A operação padrão imposta pelos controladores de vôo do Cindacta 1, em Brasília, também atrasou o início da reunião da Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT). Dos 20 petistas que participariam do encontro, metade chegou atrasada.No Congresso, a crise deve começar a ser discutida a partir da próxima semana. A iniciativa será da Comissão de Segurança Nacional e Relações Exteriores da Câmara dos Deputados. O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), membro da comissão, pretende convidar o ministro da Defesa, Waldir Pires, o presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, representantes da Aeronáutica e do sindicato dos controladores de vôo dos aeroportos brasileiros para discutir o caos no setor. "A situação está grave e precisamos de uma resposta rápida. Se o Congresso não interferir, isso não vai acontecer", disse Gabeira. Segundo o deputado, o ministro da Defesa deverá esclarecer como foram gastos R$ 1,7 bilhões do orçamento destinado ao sistema de controle aéreo do País.Por sua vez, o presidente da Comissão de Viação e Transportes, deputado Mauro Lopes (PMDB-MG), disse que vai requisitar explicações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) sobre os atrasos em vôos nos aeroportos brasileiros. O deputado informou que teve de esperar três horas por um vôo, e o aeroporto justificou o problema pelo excesso de tráfego, apesar de não haver movimentação de aviões no local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.