Atrasos de mais de uma hora atingem 26,5% dos vôos do País

O primeiro boletim oficial da Infraero, divulgado neste domingo, 1, dá conta de que dos 461 vôos previstos para decolar entre a meia-noite e as 10h20 deste domingo, 122 sofreram atrasos de mais de uma hora. O aeroporto com os horários mais desregulados foi o de Belém, onde 58,3% das decolagens atrasaram. Até o momento da divulgação do boletim, foram cancelados oito vôos em todo o País. O segundo aeroporto com maior número de atrasos no País é o de Salvador, em que 51,5% dos vôos acumulam mais de uma hora de espera. No Aeroporto Internacional de Guarulhos, dos 89 vôos previstos para o período, 28% tiveram de sofrer alterações no horário e um foi cancelado. Em Brasília, a previsão de atraso atinge 37,5% dos vôos e, em Recife, 32%. Balanço de sábado A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estima que ?mais de 18 mil pessoas? tiveram os embarques prejudicados com a greve dos controladores de tráfego aéreo, na noite de sexta-feira e madrugada de sábado. Em nota oficial, a Anac informava que estava monitorando o transporte desses passageiros e orientava as pessoas para entrarem em contato com as empresas aéreas, antes de se dirigirem aos aeroportos, a fim de evitar o intenso movimento. A paralisação dos controladores de vôo do Cindacta-1, na noite de sexta-feira, ainda causou um efeito dominó em todos os aeroportos do País. Conforme boletim da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero): um em cada três vôos programados em todo o País atrasou mais de uma hora ou foi cancelado. Na sexta-feira à noite, assim que o céu brasileiro foi fechado, as companhias americanas decidiram cancelar todos os vôos de ida e volta para o Brasil. No total, foram nove, totalizando 1.700 passageiros. Ontem, a American Airlines, responsável por mil desses passageiros, colocou aviões extras para acomodar os clientes. A empresa Delta, por sua vez, cancelou todos os vôos de sábado para poder dar lugar aos passageiros que não voaram na sexta-feira. Às 18h30 de ontem, o maior problema no Aeroporto de Cumbica (SP), por exemplo, eram as filas no embarque internacional. Segundo a Infraero, 357 (28,8%) dos 1.241 vôos previstos tiveram atrasos superiores a uma hora e houve 111 cancelamentos (8,9%), entre zero hora e 19h20 deste sábado. A empresa ressaltou que a situação mais crítica, em número de operações, era dos oito aeroportos administrados pela Regional Sudeste. A normalização total só era prevista para terça-feira. Os maiores atrasos ocorreram em Brasília (46,4%) e Curitiba (42%). O aeroporto de Guarulhos foi recordista em cancelamentos 17 (10,2%), mas proporcionamente ficou atrás de Recife (25,9%) e de Goiânia (22,2%). Só Florianópolis não registrou nem atrasos nem cancelamentos até 10h30 - mas 1h30 depois já registrava atrasos em 21,4% das operações. Mas, porcentualmente, o menor número de atrasos ocorreu em Porto Alegre (15,4%). Belém, Curitiba, Cuiabá, Fortaleza e Porto Alegre não precisaram cancelar nenhum vôo.

Agencia Estado,

01 Abril 2007 | 12h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.