Atrasos diminuem; Gol lidera queixas

O índice de atrasos em vôos diminuiu ontem, véspera do Natal, após quatro dias de transtornos para os passageiros. Dos 1.281 previstos entre a meia-noite e 16 horas, 184 (14,4%) tiveram atrasos superiores a 30 minutos, segundo balanço da Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero). A Gol continuava com o pior nível de pontualidade entre as seis companhias regulares do País, com 22,3% de atrasos. O porcentual, no entanto, é inferior às médias registradas desde o último sábado, quando mais da metade dos vôos da empresa chegou ou partiu fora do horário programado.Na avaliação de fontes do setor aéreo, a melhora está mais relacionada à queda natural da demanda do que às ações do Procon de São Paulo e da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Prova disso, dizem, eram os altos níveis de cancelamentos de vôos. No Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, das 158 partidas previstas até 16 horas, 47 (29,7%) haviam sido canceladas, reflexo do baixo movimento da ponte aérea. Ainda que de forma indireta, o corte de vôos acaba ajudando as companhias a reestruturarem suas malhas aéreas.A Anac, porém, não desistiu de cobrar explicações da Gol/Varig pelo atrasos nos dias que antecederam o Natal. A reunião convocada para amanhã no Rio será comandada pela diretora presidente da agência, Solange Paiva Vieira. Em nota divulgada anteontem, a Anac chegou a fazer uma advertência velada à Gol, dizendo que poderia até mesmo cancelar vôos já autorizados. Apesar do texto incisivo, os próprios diretores da agência não acreditam que será preciso tomar uma atitude tão drástica contra a companhia.Já o Procon paulista começará na próxima semana a analisar as alegações da Gol sobre as queixas encaminhadas por passageiros desde segunda-feira. Anteontem, o órgão de defesa do consumidor deu prazo de 24 horas para que a empresa apresentasse suas justificativas para as denúncias de quebras unilaterais do contrato (cancelamentos de última hora e mudanças de dia e horário de vôos) e demora excessiva no serviço de atendimento ao cliente. Só após a avaliação dos técnicos é que o Procon pretende se pronunciar sobre eventuais medidas contra a empresa.A Gol informou que seu índice de pontualidade estava acima de 90% entre 10 horas e 11 horas de ontem. Reiterou ainda que dobrou o número de aeronaves reservas e reforçou o efetivo de trabalho em áreas sensíveis. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse na segunda-feira que as dificuldades operacionais da empresa eram conseqüência de demissões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.