Atrasos nos vôos complicam a vida de passageiros

Pelo quinto dia consecutivo, atrasos nos vôos que partem do Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek marcaram o dia de passageiros e funcionários das companhias aéreas. Segundo o Comando da Aeronáutica, no início da manhã desta terça-feira, 31, ainda havia atrasos de vôos remanescentes da noite de segunda-feira. O motivo é a operação-padrão realizada pelos controladores de vôo do centro de controle aéreo de Brasília, o Cindacta 1.A estimativa, até o final da tarde, era de que pelo menos 30 vôos em Brasília tinham decolado com um atraso médio de uma hora. Apesar de a administração do aeroporto em Brasília afirmar que os vôos estavam com atrasos que variavam de cinco a 30 minutos nas decolagens, os passageiros reclamavam de mais de duas horas de espera. Havia casos de usuários, que faziam conexões em Brasília, e que teriam de passar mais de dez horas esperando na capital federal para seguir viagem. A falta de informações era o que mais irritava os passageiros. A manhã desta terça não foi o que o auditor da empresa BSI, de Curitiba, Cláudio Eduardo dos Santos, havia planejado. Ele chegou ao Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana da capital paranaense, às 6h30, uma hora antes da viagem a Maringá, onde realizaria auditoria em uma empresa. Mas foi traído pela neblina, que tomou conta da região do aeroporto e não permitiu a descida de nenhuma aeronave entre as 23h05 da noite de segunda-feira e as 8 horas da manhã desta terça.O avião da Trip Linhas Aéreas, que vinha de Campinas e o levaria para Maringá, não conseguiu pousar em Curitiba. Ele foi transferido para um vôo da TAM Linhas Aéreas, que deveria sair às 10h40. Com o teto restabelecido para pousos, a dificuldade ficou por conta dos problemas de tráfego aéreo em São Paulo, provavelmente em função da operação-padrão de controladores de vôo. Até o meio-dia o avião não tinha levantado vôo em direção ao Paraná.Santos desistiu da viagem. "Disseram que não havia previsão", justificou. O transtorno foi grande, mobilizando inclusive o setor de planejamento da empresa de auditoria, que, depois de ajustes, conseguiu reprogramar seu trabalho para o dia 10.Até o meio-dia desta terça, em razão do nevoeiro ou em função da operação-padrão dos controladores de vôo em vários aeroportos do País, tinham sido cancelados cinco vôos e 11 estavam atrasados no Aeroporto Afonso Pena. À tarde, não houve cancelamento, mas outros dez estavam atrasados. De acordo com a Infraero, em média o atraso é de 1 hora e meia.São PauloA situação também estava complicada no Aeroporto de Congonhas para quem chegava de viagem. De acordo com a reportagem da Rádio Eldorado AM, por volta das 17h30 cerca de 20 vôos com previsão de chegada estavam atrasados. Em alguns casos este atraso chega a três horas. No painel de partida, a situação, pelo que indica a Infraero, está tranqüila. De acordo com as informações divulgadas para os passageiros no telão de informações, as decolagens estão sendo feitas sempre no horário previsto.Apesar disso, algumas companhias aéreas informam que os vôos estão saindo atrasados. Na parte da tarde, a TAM informou que todos os vôos saíram depois do horário estabelecido. Os passageiros que entram para o saguão de embarque, estimam entre uma hora e uma hora e meia o tempo de atraso.FlorianópolisA operação-padrão também causou atrasos de até 4 horas na saída dos aviões do Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis (SC), nesta terça. O vôo 2102 da TAM, que deveria sair às 10h10, só decolou às 14h05. A empresa remanejou para esse vôo parte dos passageiros que iriam embarcar no 3108, das 14h42. Os atendentes informavam que o avião que faria esse vôo ainda estava em terra, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.Usuários, resignados, lotaram o saguão do terminal, mas também não faltaram reclamações. "Tenho uma reunião às 15 horas em São Paulo e não vou chegar a tempo", disse o engenheiro Eduardo Barros, passageiro da Gol. "O deputado federal Edinho Bez (PMDB-SC), que deveria ter embarcado às 10h10 para Brasília, conseguiu uma vaga no vôo da TAM que partiu às 14h05, mas reclamou do atraso. "A sessão na Câmara começou às 14 horas e eu deveria fazer um pronunciamento." Ele disse que perderia também algumas votações. O parlamentar temia um atraso ainda maior na escala no aeroporto de Congonhas em São Paulo. "Os usuários estão sendo penalizados. O governo federal tem de fazer alguma coisa para resolver logo isso", disse, referindo-se à operação dos controladores.CuiabáOs pousos e decolagens no aeroporto Marechal Rondon, em Mato Grosso, estão atrasando em média duas horas, nos últimos três dias. Dezenas de passageiros perderam compromissos profissionais em São Paulo e Brasília por conta dos atrasos.Na segunda feira, 30, dois vôos da Trip - com destino a Londrina e Cascavel (PR) - e vôos da Gol e da TAM com destino a São Paulo ficaram retidos na pista, com toda a tripulação e passageiros a bordo, entre as 17h e as 18h30, segundo a Infraero.Colaborou Nelson Francisco e Tânia Monteiro

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.