Atriz devolveu dinheiro à União após 9 meses

Há menos de um mês, em 26 de setembro, depois de concluir o trabalho contratado pela ONG Via BR, a atriz Anna Petta, mulher do ministro do Esporte, Orlando Silva, devolveu R$ 32,1 mil à conta do convênio celebrado para a produção de um documentário sobre perseguidos pela ditadura militar, no ano passado. Cópia do depósito foi enviado pela própria Anna Petta.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

22 Outubro 2011 | 03h01

A devolução ocorreu nove meses depois de Anna assinar um contrato com a Via BR, beneficiária de repasses de dinheiro do Ministério da Justiça, e já com o Ministério do Esporte citado em escândalos envolvendo ONGs e verbas públicas.

Ela afirmou ao Estado ter decidido devolver o dinheiro depois de ter sido informada de que a ONG Via BR já havia sido contratada pelo Ministério do Esporte. "Já havia concluído o trabalho e não saio por aí perguntando se uma entidade que me contrata tem convênio com o Ministério do Esporte, tenho uma vida completamente independente do Orlando, tenho uma carreira e não posso ir junto nessa avalanche", disse Petta.

De acordo com o contrato entre a Via BR e a Hermana, celebrado em dezembro de 2010, a empresa de Anna Petta recebeu R$ 43,5 mil, sendo R$ 5,7 mil correspondente à parcela oferecida como contrapartida da ONG que tem filiados do PCdoB no comando. Sobre a diferença entre o valor recebido e o recentemente devolvido, a mulher do ministro foi sucinta: "Isso eu não sei".

Ontem à noite, o Ministério da Justiça divulgou nota confirmando o depósito de R$ 32,1 mil feito pela empresa de Anna Petta em 26 de setembro e enviou cópia do comprovante bancário (veja ao lado). A pasta informou que a Via BR contratou a Hermana para "trabalho técnico especializado de pesquisa" para subsidiar o documentário, previsto para ser entregue em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.