Audiência de envolvido na morte de João Hélio é adiada no Rio

Juiz pedirá novas avaliações psicológicas de E., solto após ser incluído em programa de proteção de menores

Pedro Dantas, O Estado de S. Paulo

22 de fevereiro de 2010 | 16h03

A audiência que decidiria sobre a permanência de um dos assassinos do menino João Hélio no Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM) foi adiada nesta segunda-feira, 22.

 

Veja também:

Justiça do Rio liberta envolvido em morte de João Hélio

 

O juiz da 2ª Vara da Infância de da Juventude, Marcius da Costa Ferreira, disse ao advogado da família de João Hélio, Gilberto Fonseca, que requisitará novas avaliações psicológicas de E. para tomar uma decisão.

 

Menor na época do crime, o jovem progrediu ao regime de semiliberdade após três anos de pena. O rapaz foi incluído no programa de proteção por decisão judicial após a ONG Projeto Legal alegar que ele estava ameaçado de morte.

Mais conteúdo sobre:
João HélioRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.