Audiência do caso Bruno é suspensa em Minas Gerais

Próxima audiência deve acontecer em novembro, mas datas ainda não foram confirmadas; três testemunhas foram ouvidas

Julia Baptista, estadão.com.br

15 Outubro 2010 | 17h37

SÃO PAULO - A audiência sobre o caso do desaparecimento de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes de Souza, foi suspensa na tarde desta sexta-feira, 15, pela juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, do Tribunal do Júri da comarca de Contagem, interior de Minas Gerais. A próxima audiência deve acontecer em novembro, mas as datas ainda serão confirmadas pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG). Segundo o TJ-MG, Bruno Fernandes chorou "um pouco" durante a audiência. Três testemunhas foram ouvidas

 

José Carlos do Nascimento, porteiro do condomínio onde fica o sítio de Bruno Fernandes, no interior de Minas Gerais, disse que o local não exigia a identificação de cada visitante e quando as pessoas entravam em carro, era visto apenas o documento do motorista. Outra testemunha a depor foi a camareira do motel onde Bruno e Eliza teriam ficado antes de ela ter sido morta. Elizabeth Soares de Oliveira disse que a única coisa que chamou a sua atenção foi o fato de haver um bebê junto com o casal. O motel também não exige dos clientes identificação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.