AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Audiência pública em Americana acaba em confusão

Terminou em confusão a última audiência pública do processo de licenciamento da Usina Termoelétrica Carioba 2, em Americana, interior de São Paulo.Por falta de segurança, a audiência foi cancelada, havendo até rumores de que pessoas armadas estivessem dispostas a intervir no processo.Realizado no início da noite desta quinta-feira no Teatro Municipal Lulu Benencase, o evento foi marcado pela tensão criada entre grupos a favor e contra o licenciamento da usina. A Polícia Militar e a Guarda Municipal da cidade tiveram de intervir. A audiência faz parte do processo de licenciamento ambiental necessário à obtenção pela usina de licença de operação na Secretaria do Estado do Meio Ambiente e no Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema). Com o cancelamento, fica paralisado o processo, e não há prazo para que nova audiência seja realizada. "Vamos esperar passar esse clima. A reunião teve de ser cancelada porque havia mais pessoas do que o local comportava, o local não tinha segurança ou saída de emergência e havia rumores de pessoas armadas no recinto", afirmou o secretário-executivo do Consema, Germano Seabra Filho. Com capacidade para receber oitocentas pessoas, o lugar não teve espaço suficiente para comportar a população local e grupos pró ou contra trazidos de cidades vizinhas. Pelo menos quinhentas pessoas ficaram do lado de fora tentando entrar no teatro. Ao redor do teatro, 80 guardas municipais não conseguiram manter a calma entre os que não puderam entrar e houve confrontos físicos entre guardas e populares. Ônibus trazendo manifestantes de Piracicaba foram impedidos de entrar na cidade pela polícia. O prefeito de Americana, Waldemar Tebaldi (PDT), anunciou ser favorável à instalação da usina. Segundo Tebaldi, foi assinado um termo de compromisso entre a prefeitura e os empreendedores, prevendo investimentos de R$ 55,5 milhões em medidas compensatórias e investimentos ambientais na cidade. De acordo com o prefeito, foi determinante para sua posição favorável o resultado de um relatório técnico apresentado por sua Secretaria de Planejamento a favor da usina.Para Tebaldi, a usina é importante para o desenvolvimento da cidade, pois vai "gerar um pólo energético" capaz de atrair investimentos."O que for bom para Americana iremos apoiar e passar com um trator sobre quem for contra", afirmou, em relação aos grupos ambientalistas e políticos contrários à instalação do empreendimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.