Auditor da Receita agride funcionária de pedágio no PR

Uma funcionária de um posto de pedágio em rodovia paranaense foi agredida nesta segunda-feira por um auditor da Receita Federal, segundo imagens gravadas pela concessionária responsável pela rodovia. A confusão começou quando um auditor que estava em um carro apreendido não quis pagar a tarifa do pedágio. O motorista de uma caminhonete branca, que é um veículo oficial da Receita, parou para tentar ajudar o colega. A inspetora da concessionária explicou que a caminhonete poderia passar, mas, para não cobrar o pedágio do carro, ela pediu que fosse apresentado um documento: o termo de apreensão. O auditor se recusou e, após uma discussão, ele deu voz de prisão à funcionária. A inspetora tentou conversar com outros fiscais, mas foi arrastada para dentro da caminhonete. Um auditor quis levá-la para a delegacia. Ela tentou sair e foi novamente empurrada. Por causa da confusão, a Polícia Militar foi chamada. Só então a inspetora Sandra Aparecida de Souza concordou em ir até a delegacia. Lá, o auditor fiscal disse que teria sido ofendido e desrespeitado pela funcionária da praça de pedágio. Ela nega.Sandra afirmou que tentou explicar ao auditor que seguia as normas da concessionária e que, se liberasse a passagem do carro, teria de pagar a tarifa do próprio bolso. Na presença dos policiais, o auditor mostrou o termo de apreensão do carro e não pagou a tarifa. O caso vai ser investigado pela Polícia Federal. O delegado da Receita Federal Guilherme Cardoso não revela o nome do auditor envolvido na confusão e diz que ele agiu corretamente ao não mostrar os documentos para funcionários da concessionária. "O documento é sigiloso porque tem dados de contribuintes que diz respeito só à Receita", afirma. As informações são do Jornal Hoje, da TV Globo.

Agencia Estado,

05 de março de 2007 | 21h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.