Auditoria sobre obra foi realizada a mando de Arruda

Auditoria sobre obra foi realizada a mando de Arruda

Curiosamente, a auditoria de Corumbá IV foi produzida a mando do governador cassado e preso José Roberto Arruda, em 2008, num momento em que ele queria enfrentar o governador Joaquim Roriz e se livrar de Durval Barbosa, o ex-secretário de Relações Institucionais do DF, cujas delações detonaram a rede de corrupção investigada pela Operação Caixa de Pandora.

Vannildo Mendes, O Estado de S.Paulo

04 de abril de 2010 | 00h00

Mas Arruda engavetou o documento após saber que era um dos personagens filmados por Durval recebendo propina e ver que entre os envolvidos nas falcatruas de Corumbá IV havia vários aliados seus.

Com a prisão de Arruda, o documento enfim foi encaminhado ao tribunal de contas e chegou às mãos do Ministério Público, que já fez uma primeira triagem dos principais indícios de crime. O próximo passo será a abertura de inquérito policial. A auditoria, que durou três meses, ficou a cargo de um grupo de trabalho integrado por nove membros e subordinado à Corregedoria-Geral do DF. Aprovada em 2000 e iniciada em 2003, a obra só foi concluída no final de 2006, na transição do governo Roriz para o de Arruda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.