JF DIORIO / ESTADÃO
JF DIORIO / ESTADÃO

Em uma semana, velocidade de deformação de paredão de mina dobra em MG

A velocidade de deformação do talude da cava da mina da mineradora Vale, em Barão de Cocais, mais do que dobrou na última semana

Leonardo Augusto, Especial para o Estado

01 de junho de 2019 | 17h42

BARÃO DE COCAIS (MG) - A velocidade de deformação do talude (parede de contenção) da cava da mina de Gongo Soco, da mineradora Vale em Barão de Cocais (MG), mais do que dobrou na última semana. O ritmo passou de 15,5 centímetros a cada 24 horas em 26 de maio, para 33,4 centímetros por dia neste sábado, 1º.

As informações são da Agência Nacional de Mineração (ANM).  A deformação do talude é a descida, aos poucos, de material do talude. Esse material, conforme a Vale, está indo para dentro da cava da mina. 

Nessa sexta-feira, 31, a Vale informou que parte do talude havia desmoronado, mas sem impacto à estrutura da barragem. O temor das autoridades é que, com o desprendimento de partes maiores do talude, seja gerado um abalo sísmico capaz de fazer com que a barragem se rompa, atingindo os municípios de Barão de Cocais, Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.