Aumento eleva custo do Congresso em R$ 860 mi

O recente aumento dos salários dos deputados e senadores, de 62%, custará ao Congresso, em 2011, mais R$ 860 milhões. Somadas as despesas com encargos sociais, servidores ativos e inativos, a despesa do Legislativo, em 2011, deve ser de R$ 6,2 bilhões - 16% mais que no ano passado.

, O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2011 | 00h00

Os cálculos, divulgados pelo site Contas Abertas, incluem o enorme impacto causado pelo pagamento dos aposentados e pensionistas e pelas mudanças no plano de carreira dos servidores. Há indenizações a serem pagas, além disso, a parlamentares que trocam o Legislativo federal por novos cargos para os quais foram convidados nos Estados . De quebra, muitos deles levam consigo parte de suas equipes.

Estão nessa lista 9 parlamentares eleitos pelo PSDB, 7 pelo PT e 5 do PMDB, entre outros. Por lei, eles podem manter o salário do Congresso se o do novo cargo for menor. Assim, um deputado federal paulista convidado para o governo de São Paulo pode continuar recebendo os atuais R$ 26,723 reais do Congresso, visto que o salário de secretário, no Estado, é de R$ 14.980.

Ao impacto dos novos custos do Legislativo somam-se os de outros aumentos aprovados em dezembro passado, que foram de 134% para o presidente da República e 149% para os ministros. Não se sabe ainda o impacto nas assembleias e câmaras municipais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.