Austríaco é preso com mais de 8 kg de cocaína em Natal

Markus Prem tentava embarcar para Bélgica quando foi flagrado pela PF; mais dois foram presos com maconha

Solange Spigliatti, estadao.com.br

26 de setembro de 2008 | 14h41

O motorista austríaco Markus Prem, de 26 anos, foi preso no aeroporto Augusto Severo, em Natal, na quinta-feira, 25, quando tentava embarcar para Bruxelas, na Bélgica, via Lisboa, carregando na bagagem 8,44 kg de cocaína pura. O flagrante aconteceu quando a bagagem do estrangeiro passava pelo raio X, acusando um material suspeito. Ao ser aberta a mala diante das testemunhas, escondidos no forro lateral e no fundo falso, foram encontrados vários pacotes plásticos cheios de cocaína. Durante o seu interrogatório, Prem se recusou a prestar maiores esclarecimentos sobre a origem e o destino da droga encontrada em seu poder, invocando o direito de permanecer calado e só falar posteriormente em juízo. A PF também prendeu na quinta outras duas pessoas por tráfico de substância entorpecente. José Cláudio de Queiroz, de 38 anos, e Sérgio Barbosa da Silva, de 46 anos, forma presos com 21,19 kg de maconha prensada pronta para o consumo.  A prisão dos acusados teve início quando os policiais da Delegacia de Repressão e Entorpecentes receberam uma denúncia anônima na semana passada dando conta de que numa residência situada no Loteamento São Miguel Arcanjo, em Extremoz, constantemente eram vistas pessoas transitando em atitudes suspeitas e carregando pacotes.  Ao ser averiguada a denúncia, os policiais se depararam com um táxi dirigido por Sérgio Barbosa, parado na frente da casa do acusado José Cláudio, com o porta-malas aberto e dele sendo retirados alguns sacos de nylon.  Nesse momento aconteceu a abordagem e como ficou constatado, após rápida inspeção, que o conteúdo dos sacos era maconha, a dupla recebeu voz de prisão. No interior da residência de José Cláudio, os policiais ainda encontraram, enterrados no quintal, mais "tijolos" da droga. O acusado ainda chegou a oferecer a quantia de R$ 10 mil para não ser preso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.