Autor confesso de crime participa de reconstituição, em SP

A polícia de Ribeirão Preto, no interior do Estado de São Paulo, fez, nesta sexta-feira, areconstituição da morte do analista financeiro Carlos Alberto de Souza Araújo, ocorridaem 23 de fevereiro.Só o lavador de carros Adelir da Silva Motta, preso na última terça-feira e que confessou ser o único autor do crime, participou da reconstituição, pois o usineiro Alexandre Titoto, também preso e suspeito, negou-se a dar a versão dele sobre o caso.O delegado Samuel Zanferdini, do Setor de Homicídios da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), disse não ter dúvida de que Motta esteve no escritório de Titoto e participou do crime, até a ocultação do cadáver, numa cova rasa em uma fazenda da família do usineiro, em Serrana.Os detalhes teriam coincidido com o laudo pericialda morte de Araújo. Porém, o delegado não acredita que Titoto tenha apenas assistido aocrime e nada feito após ter sido agredido por Araújo, segundo a versão apresentada porMotta. Ambos continuam presos temporariamente no anexo do 1º DP.

Agencia Estado,

14 de março de 2003 | 16h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.