Autor desconhecido autografa livros

Divulgadores de 'O engraxate que virou PhD' dividem espaço com cabos eleitorais

Moacir Assunção, O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2010 | 00h00

Na movimentação em frente ao local do encontro tucano, no Expocenter Norte, pouco antes do início do evento, o que mais chamava a atenção não eram políticos conhecidos ou cabos eleitorais. Jovens com coletes do lançamento do livro do desconhecido Gil Lúcio Almeida. Tratava-se de uma autobiografia, intitulada O engraxate que virou PhD, que estampa em sua capa o apoio de Alckmin e de Serra. O autor, caneta em punho e enormes óculos de sol, distribuía autógrafos às poucas personalidades que apareceram. Na prática, somente ao presidente do PMDB estadual, Orestes Quércia, já que as estrelas da festa entraram por uma passagem lateral.

Na falta deles, as jovens entregaram livros aos que, pelo menos, ostentassem crachás de convidados. "Pra que vou querer isso?", questionou um rapaz que havia acabado de ganhar a obra.

Os cabos eleitorais faziam a festa. Pelo menos 30 jovens de Guarulhos gritavam o tempo todo o nome da cidade. Depois, os coordenadores pediram para que eles exaltassem Serra e Alckmin. Um grupo menor começou a gritar os nomes dos políticos e, na sequência, "Corinthians, Corinthians", sob risos dos demais.

Apesar de proibidas pela legislação eleitoral, as faixas também apareceram. Uma delas, de Mário Moreno, de Itaquaquecetuba, saudava os pré-candidatos à Presidência e ao governo, além do deputado Evandro Losacco. A faixa estava afixada na defensa da pista da rua, o que é expressamente vedado pela lei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.