Autorama pode ser tombado como patrimônio gay

São Paulo pode ter seu primeiro patrimônio gay tombado. Pelo menos é isso que esperam algumas entidades como resultado final da polêmica que surgiu desde que, no dia 3, a Prefeitura restringiu os horários de abertura do Autorama, espaço do estacionamento do Parque do Ibirapuera freqüentado essencialmente pelo público gay. Antes, o local ficava aberto durante toda a madrugada. "Vamos realizar um ato contra o fechamento na quinta-feira, às 22 horas, no local, quando então apresentaremos a proposta de tombamento do Autorama como o primeiro patrimônio gay de São Paulo", disse o vereador Carlos Giannazi (PSOL-SP).Para a vice-presidente da Associação da Parada do Orgulho GLBT - que reúne gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros -, Regina Fachini, "o Autorama é um espaço de socialização do público gay, muito importante em São Paulo". Mas ela disse que ainda não tem detalhes do projeto. "Gostaria de saber o que acompanha essa proposta de tombamento para opinar com mais clareza", afirmou.Com os portões fechados da meia-noite às 5 horas, o Autorama era um dos locais preferidos para os gays insones da cidade. Entretanto, com o registro de crimes, acusações de casos de pedofilia e pressão da vizinhança e de entidades, a Prefeitura optou por manter o local fechado preventivamente nesse horário que considera crítico.NegociaçõesO secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente, Eduardo Jorge, esteve hoje com o vereador Giannazi na Câmara Municipal para explicar o fechamento. "O secretário disse que só vai reabrir o local quando a PM (Polícia Militar)e a GCM (Guarda Civil Metropolitana) oferecerem a segurança necessária. Mas se formos fechar todo espaço em que há insegurança ou violência, vamos fechar a cidade inteira. A violência lá é pontual", disse Giannazi.Ele ressaltou que o Autorama é um espaço público tradicional, presente em várias agendas de muitos roteiros do mundo. "Eu sei que o secretário não é preconceituoso, ele está sendo pressionado, existe uma pressão forte da classe média-alta, dos vizinhos do parque", disse o vereador. Procurado pela reportagem, o secretário Eduardo Jorge não foi localizado até as 22 horas.A expectativa das entidades envolvidas na manifestação de quinta-feira é de que esse reforço policial, mencionado pelo secretário, aconteça logo, porque isso garantiria a reabertura do Autorama. "Mas queremos uma polícia adequada lá. Não dá pra colocar um policiamento ostensivo e nem omisso", alertou Giannazi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.