Regina Carvalho/Estadão
Regina Carvalho/Estadão

Autorização eletrônica para viagem ao México: brasileiros reclamam de falha em sistema

Aval é exigido para entrar no Brasil, mas site apresenta instabilidade há cerca de um mês; informe do consulado orienta a tentar documento presencialmente, mas agendamentos são restritos

Emilio Sant'Anna, O Estado de S.Paulo

03 de julho de 2022 | 05h00

Se existe algo difícil ultimamente é um brasileiro colocar os pés no México. Isso ocorre apesar de não haver barreiras, só a necessidade de se obter autorização eletrônica em um site do governo mexicano. O problema é que, para brasileiros, o sistema vem falhando há cerca de um mês. A situação chegou ao ponto de turistas desistirem de viagens marcadas e já pagas. Sem ter a quem recorrer, resta virar dias e noites tentando “achar” um instante em que o site funcione.  

Desde dezembro, a autorização eletrônica para entrar no México passou a ser exigida dos viajantes brasileiros, assim como de outros países. O aval precisa ser obtido nos 30 dias anteriores ao embarque e, na ausência dele, pode-se tentar obter o visto mexicano via entrevista presencial. “Aqui em São Paulo eles abrem a agenda para o visto na terceira semana do mês”, diz o engenheiro Paulo Blanco, de 47 anos. Com viagem marcada para 9 de julho, ele passou as últimas semanas tentando a autorização para um dos filhos. Nada feito. Correu atrás de uma data no consulado e se deparou com a falta de tempo hábil. “Não vamos mais”, afirma. 

O engenheiro entrou no site do governo mexicano para obter a autorização de viagem dentro do prazo exigido, 30 dias antes do embarque. Ao ver que o sistema não funcionava, foi às redes sociais e descobriu que não estava só. 

O visto mexicano e a autorização eletrônica são dispensados no caso de o viajante ter o visto para entrar nos Estados Unidos válido. O mesmo vale para quem tem autorização para entrar em Canadá, Japão, Reino Unido ou Espaço Schenguen, composto por 22 dos 28 países membros da União Europeia. Blanco, sua mulher e sua filha têm o visto americano. O do filho está vencido. 

Na sexta-feira, 1º, o engenheiro entrou em contato com a Aeromex e conseguiu adiar as passagens. Agora, precisa ainda tentar não perder o dinheiro das diárias no hotel. “Consegui adiar porque minha passagem permitia o adiamento, mas e para quem não pode fazer isso?”, diz. 

Nas redes sociais sobram queixas de “falta de respeito com as pessoas, sonhos sendo jogados no lixo e dinheiro também”; Estou há dias tentando, sem parar. Vou perder tudo. Minha filhinha está em prantos pois sonhamos muito com essa viagem na pandemia.” 

Blanco ainda tem mais uma reclamação em comum com outros brasileiros. Quem entra no site e muda a nacionalidade para qualquer outra tem uma surpresa. “Aí, funciona! É uma situação surreal”, afirma. 

Consulado diz não ter controle sobre sistema

No site do órgão, um comunicado informa a quem ainda tem interesse em manter a viagem que “o Sistema de Autorização Eletrônica (SAE, visto eletrônico) é um serviço online e gratuito do Instituto Nacional de Migração (INM) do México. A Autorização Eletrônica só pode ser obtida através do site desse órgão emissor. O Consulado não tem participação nesse processo. Por este motivo, pedimos aos interessados que precisem dela que realizem nova tentativa no intuito de obter a aprovação”.

Na sequência, o comunicado recomenda que os viajantes tentem marcar um horário para obter o visto presencialmente em outro sistema eletrônico e alerta que “se o sistema de agendamento não permitir você prosseguir ou marcar um horário significa que não há agendamentos disponíveis no momento” e que na terceira semana de cada mês habilitam-se os agendamentos do mês seguinte.

Por fim, deixa claro que considera não ter nada a ver com a instabilidade para obter o aval eletrônico. “O Consulado reitera que não tem nenhum controle sobre o sistema de autorizações eletrônicas e que não assume nenhuma responsabilidade pelas perdas de reservas de passagens de avião, hotéis nem quaisquer outros prejuízos”, diz o comunicado.  

O Estadão entrou em contato com a Embaixada Mexicana no Brasil, via email, informa que caso a autorização eletrônica continue sendo negada, ("não processada"), a recomendação é que os interessados dêm início aos trâmites no Consulado do México. No entanto, a Secretária de Relações Exteriores adverte que neste caso o Consulado pode adotar algumas exigências e requisitos próprios, incluindo reinvidincar a presença in loco do interessado. 

Tudo o que sabemos sobre:
México [América do Norte]turismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.