Auxiliar de Beira-Mar é preso no Paraguai

Capturado na cidade paraguaia de Capitán Bado, durante ação conjunta da Polícia Federal com a Polícia Nacional do Paraguai, o traficante Leomar de Oliveira Barbosa, de 38 anos, chegou hoje às 7h35 a São Paulo. Ele é considerado como um dos principais homens do traficante Fernandinho Beira-Mar, e foi investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico.Os policiais prenderam Barbosa em sua fazenda, localizada a cerca de 35 quilômetros de Capitán Bado. Ele estava escondido em um túnel secreto de aproximadamente 100 metros, que ligava a mansão do traficante a uma pequena colina. A entrada ficava dentro de um dos armários da casa. Três homens faziam a segurança do local com fuzis M-16. Além de Barbosa, pelo menos outras seis pessoas foram detidas.De acordo com o delegado Gilberto Tadeu Vieira Cezar, da PF de São Paulo, o traficante apresentou Beira-Mar para a família Morel, uma das principais produtoras de maconha do Paraguai. "Quando Fernandinho teve problemas, foi ele que arranjou para que ficasse em uma fazenda", explicou. Há suspeitas de que desentendimentos tenham levado Beira-Mar a assassinar dois membros da família Morel.O delegado da PF disse que o traficante pode ser considerado um dos principais do País, coordenando conexões do tráfico de maconha e cocaína no Brasil, no Paraguai e na Bolívia. "Eu não sou traficante", afirmou Barbosa. "Eu sou um ´lambari´." Durante apresentação na sala da PF do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, ele também negou que tivesse levado Fernandinho Beira-Mar para o Paraguai. "É tudo mentira."FugaLeomar de Oliveira Barbosa estava sendo procurado desde o dia 21 de fevereiro, quando foi resgatado na Rodovia Anhangüera por quatro homens armados com fuzis AR-15. O traficante era transportado, juntamente com o preso Marcelo da Silva Soares, por dois investigadores do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc). Os dois voltavam para presídios em Franco da Rocha e Assis - onde cumpriam pena - depois de prestarem depoimento em São Paulo. O carro não estava sendo escoltado.Por meio de uma escuta no telefone de Beira-Mar, a Divisão de Entorpecentes da PF, em Brasília, apurou que o traficante teria pago US$ 200 mil a um policial para facilitar a fuga. A informação estava sendo investigada pela Corregedoria da Polícia Civil. Barbosa cumpria pena de 14 anos e oito meses em Assis. Em 1999, ele foi preso em Avaré com 157 quilos de cocaína. O traficante também tem uma condenação a 28 anos de prisão no Mato Grosso do Sul, por assaltos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.