Auxiliares do Senado têm aumento de 46%

Plano de carreira beneficia grupo formado por servidores, com 30 anos de Casa e ensino fundamental, cujo salário sobe de R$ 9,4 mil para R$ 13,7 mil

Denise Madueño e Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2010 | 00h00

Um grupo de 69 funcionários com tradição no Senado foi um dos principais beneficiados pelo plano de carreira aprovado na quarta-feira. Com o reajuste de 46%, os salários dos auxiliares de segurança e gráfico - que têm cerca de 30 anos de Casa e ensino fundamental - vão saltar de R$ 9,4 mil para R$ 13,7 mil.

Mas o pagamento pode ser ainda maior para essas e outras carreira, pois é "recheado" de penduricalhos, como funções comissionadas. O impacto total será de R$ 217,7 milhões somente neste ano. Para 2011, chegará perto de meio bilhão: R$ 464 milhões.

O reajuste dos servidores do Senado contempla 6.630 servidores - 3.300 concursados, 1.300 nomeados sem concurso e 2.030 aposentados. No caso dos policiais, o piso será nacional e beneficiará todos os integrantes da categoria.

Enquanto cargos com ensino fundamental tiveram reajuste de 46%, outras carreiras, com exigência de nível médio, ganharam aumento menor. O salário dos técnicos de informática, por exemplo, sobe de R$ 10,7 mil para R$ 13,6 mil para o nível inicial (27% a mais). Para o final de carreira, passa de R$ 14 mil para R$ 16 mil, com reajuste de 14%.

Analista para a área de comunicação social, que exige formação de nível superior, também teve aumento inferior ao dos auxiliares, mas o salário ficou maior do que o dos deputados e senadores, de R$ 16.512,00. Na fase inicial, pulou de R$ 15,7 mil para R$ 18 mil, com reajuste de 15%. Na faixa final, foi de 17%, indo de R$ 17,2 mil para R$ 20,2 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.