Auxílio-doença acidentário

Carta 19.992Tenho 23 anos e sofro dores crônicas devido a inflamações no ombro, cotovelo e pulso, além de problemas na coluna lombar. Uso antiinflamatórios, antineuríticos e antineurágicos há 1 ano e 3 meses. Os remédios causam vômito, refluxo, cefaléia crônica e tontura; passei por perícia médica no INSS, com médica com especialização em pediatria, epidemiologia e saúde pública. Ela me deu alta, e eu deveria retornar ao trabalho que me causou os problemas. Apresentei vários exames médicos, laudos de especialistas em ortopedia e pedido de afastamento do trabalho para tratamento, mas mesmo assim a doutora parece crer que seus conhecimentos pediátricos e epidemiológicos são superiores aos pareceres de 4 especialistas. Eu queria a oportunidade de cursar outra faculdade, buscar uma profissão alternativa, um tempo para me readequar à nova realidade que vivo devido à saúde, mas isso não me é permitido. Onde está o ?País de todos?? E que auditoria exige que os médicos dêem alta a pacientes doentes?FELIPE SOARES VIVAS de CASTROValinhos/SP O INSS responde:"O segurado está em auxílio-doença acidentário desde 25/4/07, cessado em 25/8. Desde o início do auxílio, o leitor teve o benefício alongado por Pedidos de Prorrogação, mas desta vez não localizamos novo PP, que deve ser pedido nos 15 dias que antecedem a cessação. A cada perícia, o segurado deve apresentar laudos médicos e exames clínicos que comprovem sua incapacidade e a necessidade de continuidade do tratamento."Carta 19.923Pedidos ao INSSEm 6/8 estive na agência do INSS da Água Rasa, onde dei entrada em meu pedido de aposentadoria, sem resposta até agora (carta de 13/8). MARCO ANTÔNIO de OLIVEIRAJardim Vista AlegreO INSS responde:"Pedimos que o segurado nos forneça o n.º de protocolo obtido no dia 6/8, para que seja possível verificar seu pedido."O leitor informa que não lhe deram nenhum n.º de protocolo, só marcaram o dia da entrevista, mas o INSS respondeu que o número lhe foi dado junto com uma carta de exigência, pedindo-lhe apresentação do formulário Perfil Profissiográfico revidenciário (PPP) ref. às empresas em que exerceu atividade especial. Assim que a exigência for cumprida, o pedido será analisado e concluído pela agência citada. Em 24/10/06, o INSS não me reconheceu o direito ao benefício de salário-maternidade. Em 23/11, ao me comunicar a decisão, disseram que a razão fora falta de apresentação da documentação autenticada. Entrei com recurso, sem sucesso. O prazo já expirou e tenho de ir à agência e enfrentar, com uma criança de colo, longas filas e o mau humor dos funcionários. Meu filho já tem 1 ano e 9 meses; tenho de sustentá-lo, mas o INSS não me paga aquilo a que tenho direito.ANA DE OLIVEIRA S. FERREIRAParque Paulistano O INSS responde:"Analisamos o processo de recurso da leitora e a ag. Tucuruvi manteve o indeferimento do pedido de salário-maternidade. Em 7/8, o processo seguiu para a 10.ª Junta de Recursos da Previdência Social e aguarda inclusão na pauta de julgamento. D. Ana poderá acompanhar as fases do processo pelo site www.previdencia.gov.br. Basta, na pg. inicial, clicar na opção Serviços e depois em Andamento de Processos e Decisões das Câmaras e Juntas". Carta 19.924À espera de informaçãoEm 25/4, fui à Unidade Básica de Saúde Pereira Barreto-Pirituba para consulta sobre retirada de um cisto nas costas. Para fazer a pequena cirurgia, deveria aguardar contato da secretaria da UBS. Mas até agora (carta de 15/7) não houve confirmação. Voltei à UBS e a secretaria informou que ?aguarda o encaixe?. O que faço? CELSO TADEU ALVAREZ PiritubaA Coordenadoria Regional de Saúde Norte responde:"O paciente passou por consulta no dia 18/7 na Unidade Básica de Saúde Chácara Inglesa, e foi encaminhado para os procedimentos pré-operatórios e a realização de exames. Assim que estiverem prontos, o paciente fará a cirurgia. A gerência da unidade está à disposição para esclarecimentos." No dia 19/8, o leitor disse que espera o resultado de um exame de sangue feito em 24/7, para finalmente marcar uma data para a necessária cirurgia.Correspondência para São Paulo Reclama: e-mails para spreclama.estado@grupoestado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.