Avenida de Juiz de Fora deve receber nome do senador

Prefeito quer trocar nome de uma das principais vias do município, construída por Itamar, para homenageá-lo

Alfredo Junqueira, O Estado de S.Paulo

05 Julho 2011 | 00h00

ENVIADO ESPECIAL / JUIZ DE FORA

Uma das principais vias de Juiz Fora, a Avenida Independência deverá ser rebatizada como Avenida Itamar Franco. O prefeito da cidade, Custódio Mattos (PSDB), deve enviar à Câmara Municipal um projeto determinando a alteração do nome. A família do ex-presidente será consultada antes para saber se deseja a homenagem.

Itamar, que morreu na manhã de sábado e foi velado no salão principal da casa legislativa da cidade no fim de semana, foi prefeito de Juiz de Fora entre 1967 e 1971 e entre 1973 e 1974. A avenida que receberá o nome do ex-presidente foi construída por ele durante seu segundo mandato. A via tem 4,4 quilômetros e reúne edifícios residenciais e comerciais.

Prevista para 8h30 da manhã de ontem, a transferência do corpo do ex-presidente para Belo Horizonte atrasou uma hora e meia. Por causa do mau tempo, o aeroporto da cidade ficou fechado até 10 horas. O atraso fez com que a Câmara Municipal reabrisse as portas para que centenas de populares dessem mais um adeus a Itamar.

Quando, finalmente, o corpo do ex-presidente foi levado pelo Corpo de Bombeiros, a população local prestou sua última homenagem. No frio, sob chuva fraca, mas persistente, as pessoas que aguardavam do lado de fora da Câmara começaram a cantar de maneira espontânea o Hino Nacional.

Quando o caminhão dos bombeiros iniciava o cortejo final pelas ruas da cidade, o povo ainda entoava as estrofes finais do hino do Estado de Minas Gerais. As filhas do ex-presidente, Georgiana e Fabiana, acompanharam tudo muito emocionadas. Elas não deram nenhuma declaração durante o fim de semana.

Flores. No Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, chegaram dezenas de mensagens e coroas de flores em homenagem a Itamar, inclusive uma do presidente da Bolívia, Evo Morales. Quem também compareceu ao velório foi o suplente de Itamar, Zezé Perrella (PDT). Investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Estadual, Perrella deixou o local sem falar com a imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.